quinta-feira, 25 de novembro de 2010

...

imagem do google








Conheço o som
do rio que me acompanha
Nos silêncios
das noites mal dormidas
Incessante
Permanente borbulhar
No bueiro
onde escoa o pensamento

-

Etiquetas: ,

14 Comentários:

Blogger nydia bonetti disse...

havia um rio na minha infância
ainda há... e como fui. lindo, ivone, beijos!

25 de novembro de 2010 às 18:13  
Blogger Luís Coelho disse...

Um poema simples mas profundo com imagens muito bonitas.

25 de novembro de 2010 às 19:08  
Blogger AC disse...

Maria Ivone,
Creio que todos um rio de desassossego...
(Gosto sempre das suas palavras. Têm a cara lavada)

Beijo :)

25 de novembro de 2010 às 21:37  
Blogger Ingrid disse...

Querida,
rios em vozes diuturnas que precisam de eco em nossas vontades..
assim encontram respostas e se satisfazem..
beijinho.

25 de novembro de 2010 às 21:48  
Blogger Vitor Chuva disse...

Olá, MariaIvone!

Noites sem sono e pensamentos que nos desagradam, são por vezes companheiros de jornada, companhia não convidada...

Muito é dito, com poucas palavras.
beijinhos.
Vitor

25 de novembro de 2010 às 22:17  
Blogger Maria João disse...

E sendo foz, somos também o seu próprio leito...

Um abraço, grato!

26 de novembro de 2010 às 01:23  
Blogger Lilá(s) disse...

Belissíma imagem! completando em cheio a suavidade do poema.
Bjs

26 de novembro de 2010 às 21:15  
Blogger Batom e poesias disse...

É o som do coração...
Seu carinho tem sido inestimável, nesses dias sem sol, minha amiga.

Também te quero bem.
Muito

bjs
R♥ssana

27 de novembro de 2010 às 13:00  
Blogger Andrea de Godoy Neto disse...

ah, os rios pensamentos, que tantas vezes nos conduzem e, às vezes, a lugar algum...

lindas palavras!

beijos, MariaIvone

27 de novembro de 2010 às 15:37  
Blogger Mai disse...

É um rio, um imenso rio...
E nele escoam lembranças e desejos.

abraços

27 de novembro de 2010 às 17:33  
Blogger Zélia Guardiano disse...

Mariaivone, minha querida
Encanta-me o teu poema, tão enxuto, tão parcimonioso no uso de palavras e, ainda assim [ e por isso mesmo], magnífico!
Lindo demais!
Enorme abraço, amiga, grande poetisa...

27 de novembro de 2010 às 19:21  
Blogger Insana disse...

Tenho tido noites mal dormidas, tenho tido pesadelos.
tudo isto vem do silencio que esta em mim.. preciso "gritar" mais são tantas coisas. que estao entrando na lista.

bjs
Insana

27 de novembro de 2010 às 19:46  
Blogger dade amorim disse...

E esse rio nos acompanha por toda a vida.
Beijo, querida amiga.

27 de novembro de 2010 às 20:03  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Também conheço esse "bueiro onde escoa o pensamento"...
Excelente poema, gostei imenso.
Bom Domingo.

28 de novembro de 2010 às 12:28  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial