terça-feira, 7 de dezembro de 2010

procura

do google















Procuro aquela que fui
Por onde anda
Onde se alberga
Como acalma os desvarios
Como doma seus caprichos
Como consegue esconder-se
Silenciar seus quereres
Seus fazeres tumultuosos
Suas pressas de viver
Sua mão cheia de sonhos
Entrelinhas, rodapés
Preenchidos ao limite
Como saber onde está
Se na espera do encontro
Nada se encontra de mim

-

Etiquetas:

15 Comentários:

Blogger Ingrid disse...

Querida amiga,
nestes versos escerves o que eu poderia ter escrito hoje e já há algum tempo..o que sinto e como me sinto!
Perfeito !
beijo no coração

7 de dezembro de 2010 às 08:30  
Blogger Rick" disse...

Seriamente, estes versos são lindhos"
Muito lindhos"
Bjws"'
"(*_*)"
http://nostudinhos.blogspot.com/

7 de dezembro de 2010 às 13:32  
Blogger Maria João disse...

MariaIvone

O que procuramos, encontra-se apenas nessa mão cheia de sonhos e entrelinhas... tudo o resto é constructo do mesmo alicerce.
Como o que escreve. E isso, é a indelével marca da sua singular identidade.

Um beijinho

7 de dezembro de 2010 às 13:42  
OpenID vitorchuvashortstories disse...

Olá, MariaIvone!

Mudar e deixar de ser quem fomos
e inevitável:por muito que em nós procuremos o passado só iremos encontrar o presente, e os sonhos que alimentam o futuro ...

Abraço amigo.
Vitor

http://vitorchuvashortstories.wordpress.com/

Vitor

7 de dezembro de 2010 às 15:53  
Blogger AC disse...

Maria Ivone,
Leio-a e sinto um grito contido, uma forte vontade de querer libertar-se de amarras que o tempo acentuou. No entanto, olhando (sentindo) bem, o grito é forte, determinado, com essência avassaladora, e pressente-se que as amarras têm os dias contados...

Um forte abraço

7 de dezembro de 2010 às 18:45  
Blogger Lilá(s) disse...

Quero ter sempre uma mão cheia de sonhos, aos poucos tenho-a sentido vazia...
Beijinhos

11 de dezembro de 2010 às 21:08  
Blogger lupuscanissignatus disse...

que os sonhos

nunca

emudeçam


[de procurar-nos]

12 de dezembro de 2010 às 16:39  
Blogger Lucão disse...

:)
nós tb poucas vezes sabemos o que esperar de nós mesmos.
a imprevisibilidade do nosso ser pode nos ser surpreendente
:)

14 de dezembro de 2010 às 01:14  
Blogger Lívia Inácio disse...

Linda busca!

15 de dezembro de 2010 às 18:26  
Blogger Zélia Guardiano disse...

MariaIvone, minha querida
Como eu me identifiquei com os seus lindos versos!
Também ando á caça de mim...
Completei [ na última terça-feira]66 anos e quero encontrar uma outra Zélia, de 33...rs...
Mas, brincadeira à parte, encantei-me com seu poema!
Enorme abraço, amiga!

16 de dezembro de 2010 às 18:29  
Blogger Malu disse...

Vim para deixar um FELIZ NATAL e um grande ANO NOVO a ti e a todos aqueles que teu coração abriga.
BOAS FESTAS!!!!

17 de dezembro de 2010 às 23:55  
Blogger Lívia Inácio disse...

Obrigada por retribuir a minha visita, viu!

fiquei muito feliz.

Um abração e feliz natal.

19 de dezembro de 2010 às 17:05  
Anonymous Anónimo disse...

Passei por aqui porque não continha as saudades. A tua poesia é linda e é para ser lida letra a letra, palavra a palavra, verso a verso. A tua poesia tem a força do tacto: ao mesmo tempo que toca em todos os meus sentidos, consigo tocar em ti e sentir-te

20 de dezembro de 2010 às 12:28  
Blogger dade amorim disse...

Mudamos tanto, não é mesmo?
O poema fala bem alto desse acontecimento em nossa vida.

Beijo, Mariaivone.

21 de dezembro de 2010 às 18:25  
Blogger Maria João disse...

MariaIvone

Venho deixar-lhe um abraço fraterno neste Natal e desejar os maiores votos de Festas Felizes!

Um beijinho

21 de dezembro de 2010 às 19:11  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial