segunda-feira, 8 de novembro de 2010

silêncio

"Silêncio", imagem do google

Teu silêncio absurdo
Me faz calar
Envolve o espaço
Construindo muros
Negando palavras
Impedindo olhares

.

Etiquetas: ,

19 Comentários:

Blogger Thaíla disse...

Eu sou suspeita em falar, mas o silêncio sempre traz bons ventos. E quando não, é só deixar passar.. tudo volta pro seu devido lugar.

8 de novembro de 2010 às 01:55  
Blogger Luís Coelho disse...

O silêncio pode ser mau e também pode ser bom.
É bom ouvir uma boa palavra em silêncio..........
É bom deixar as palavras oportunas quebrarem os maus momentos

8 de novembro de 2010 às 09:35  
Blogger poetaeusou . . . disse...

*
a noite
do silêncio !
,
saudações,
,
*

8 de novembro de 2010 às 09:46  
Blogger Zélia Guardiano disse...

Maria Ivone
Que lindeza!
Meia dúzia de versos que compõem um poema do tamanho do mundo! Ai, o silêncio...
Parabéns, minha querida amiga!
Imenso abraço

8 de novembro de 2010 às 10:10  
Blogger manuela baptista disse...

nos silêncios absurdos

as palavras negam-se-nos

e assim as projetamos em poemas
sentidos!

um beijo

manuela

8 de novembro de 2010 às 11:14  
Blogger Renata de Aragão Lopes disse...

Regra geral,
quando se instala,
o silêncio se multiplica...

Beijo,
Doce de Lira

8 de novembro de 2010 às 12:37  
Blogger LuNETta disse...

Belíssimo poema
tocou fundo no peito..
Parabéns MariaIvone

Se você permitir, gostaria
de postar o poema "silêncio"
em meu Blog onde tenho
um espaço,lado direto,(poesias soltas), onde coloco poesias que gosto.

8 de novembro de 2010 às 17:48  
Blogger Luria Corrêa . disse...

Chaplin já citou que o som aniquila a beleza do silêncio, mas quando raro som, seu silêncio soa como insulto de negação, com profunda intensidade dentro de cada coração. Lindos verso Maria Ivone ! Gostei.

beijos.

8 de novembro de 2010 às 21:56  
Blogger contagotas disse...

Esteja à vontade LuNETta, tem toda a permissão.

bj
MariaIvone

8 de novembro de 2010 às 21:58  
Blogger Batom e poesias disse...

Minha amiga, o silêncio, por vezes é uma muralha intransponível.
Lindos versos.

Beijocas carinhosas
Rossana

9 de novembro de 2010 às 18:31  
Blogger Nilson Barcelli disse...

"Por portas e travessas
Soube de ti"
E vim ler-te.
Gostei tanto da tua poesia que voltarei.
Beijos.

9 de novembro de 2010 às 20:17  
Blogger Lilá(s) disse...

Por vezes sinto tanta falta de ouvir o silêncio...
Bjs

11 de novembro de 2010 às 14:36  
Blogger AC Rangel disse...

Preciso romper este silêncio.

beijo

11 de novembro de 2010 às 23:44  
Blogger Maria João disse...

Há silêncios que preenchem a vida, e apenas eles existem a ocupar o enorme vazio que já não nos suporta.

Intenso e sucinto, o que lhe acrescenta valor e beleza!

Um beijinho

12 de novembro de 2010 às 15:06  
Blogger dade amorim disse...

Um poema intenso, eloquente e quase explosivo. E muito belo.

Beijo.

12 de novembro de 2010 às 22:22  
Blogger Rodrigo Passos disse...

perfeito!

13 de novembro de 2010 às 07:07  
Anonymous Fred Caju disse...

Só uma curiosidade, grande parte dos blogs que acompanham estão trazendo post dedicados ao silêncio. Seria um momento de calar-se? Espero que não! Grande abraço e bom final de semana.

13 de novembro de 2010 às 18:06  
Blogger Insana disse...

Impedindo o encando de viver completamente, caoando a magia do acreditar.

aiai

bjs
Insana

14 de novembro de 2010 às 15:04  
Blogger Andrea de Godoy Neto disse...

este silêncio que cala é também aquele que mata sem um único ai...

belo este poema!

Beijos, minha querida

18 de novembro de 2010 às 04:02  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial